domingo, 27 de abril de 2008

ORQUÍDEA NEGRA


Sou tua orquídea negra,
abro-me à noite,
e, suavemente, me colhes.
Me acolhes, me acaricias,
me deixas flor.....
Flor doce, de pétalas macias,
cor negra, pálida, rósea,
sou tua orquídea,
bem o sabes,
a única orquídea da noite.
Vens e sinto a clorofila,
a seiva bruta do teu amor.
Não preciso de sol,
meu sol é o teu amor,
preciso só do teu calor.
E a flor se abre,
mostra pistilos, estames,
suas partes mais íntimas,
a orquídea , como a mulher,
também tem desejo e sabor....
Chega a noite.
A orquídea negra te espera.
Vens e molhas a planta do meu amor.
Chega o sol,
recolho-me,por mais um dia,
guardo-me, esperando a noite cálida,
e ao chegar, abro-me, novamente,
para teu amor encontrar.

Um comentário:

Sereia Negra disse...

Ola!!
Eu sou a Sereia Negra e adorei o seu poema!!!
Acha que poderia fazer uma sobre Sereias para eu poder colocar no meu hi5 e divolgar o seu trabalho?
Aguardo ansiosamente uma resposta!
Obrigada
Atenciosamente!!!