domingo, 22 de agosto de 2010

MOMENTOS


SER


Nasci e uma luz brilhou nos sorrisos.

Meu choro forte era o sopro de vida.

Cresci entre sorrisos e lágrimas.

Estrelas iluminavam um caminho ...

Sem atalhos, pedras ou espinhos,

Prosseguia na minha in _ felicidade?!

Não sentia inveja, amor ou maldade,

Meus pés mal tocavam o chão...

Andava sonhando e dormia acordada.

Princesa de contos de fadas?!!!

Abri os olhos, tudo era ilusão.

O mundo que eu vislumbrava

Quebrou como taça de cristal.

Meu sapatinho de cinderela,

Minha cama de bela adormecida,

Minha casinha de branca de neve,

Bela,esquecida, leve...

Meu chapéu vermelho sobre cachos de ouro...

Maçãs envenenadas num baú de tesouro...

Céu, nuvens e cavalos alados...

Fecho os olhos e recordo lendas e fardos...

A mulher que descobri nos sete véus,

Hoje está cansada, desiludida.

Penso que isso foi vida.

Ou não passou de uma loucura?

Se não foi, alguém me diga!


Stella Vives
12/08/2010

2 comentários:

Carlos Rímolo disse...

Minha querida amiga e grande poetisa Stella!!!!!
Seu texto poético é belíssimo. Adorei mesmo, Aliás, sou seu grande fã, sabia? Meus parabéns!
Beijos de luz!!!!!!!!!!!

POETA CIGANO - 25/08/2010

www.carlosrimolo.blogspot.com

Lívia Aparecida disse...

Olá minha cara amiga, sou apaixonada por poemas, amo Drummond. Gostei muito deste poema, é permeado de sensibilidade, é triste, mas é a realidade de muitas e muitos. Sou uma grande admiradora do povo gaúcho, aprecio muito o sotaque de vocês. Se bem que o fato de morar em Porto Alegre não implica que vc é gaúcha.Grande abraço